Rebobina 2018! Lista dos 20 melhores lidos esse ano.

Atualizado: 12 de Jan de 2019

Antonio Candido, um dos nomes mais importantes quando se pensa a crítica literária no Brasil, possui um texto chamado “O direito à literatura”. Nele, o autor defende que a arte e a literatura também devem entrar no hall de necessidades básicas do ser humano, para TODOS (para evitar a frase “direitos humanos só existe para bandido”).

Isso porque a literatura é produzida por humanos e para humanos, porque pode cumprir um papel fundamental na formação da personalidade, porque coloca o homem em estado de reflexão. Sendo bem sucinta: a literatura, dentre tantas coisas, desenvolve em nós a capacidade de sentir empatia (não garante 100% que isso vá acontecer, mas já é um começo).


Todo mundo deveria ler? Como leitora apaixonada, minha resposta é sim. Porém, compreendo a mudança dos tempos e como a nossa relação com a arte mudou. Hoje podemos visitar um museu usando apenas a Internet; caminhar pelas ruas e observar os grafites embelezando a cidade. A própria pichação é uma manifestação artística, porque invade o espaço urbano e toma uma voz, em geral negada no cotidiano.


Ainda, a leitura no Brasil é algo complicado, envolve educação, custo dos livros, acesso a bibliotecas. Como garantir a leitura se, muitas vezes, não há comida nem saneamento básico?


No entanto, a leitura coloca a gente em estado de participação. A gente tem que se conectar com a página, sair de si e entrar nos personagens, no eu-lírico do poema, ou então ser ou não ser Hamlet. É fascinante!


Já que esse vai ser meu último post de 2018, – e eu AMO uma listinha – resolvi me colocar na tarefa (mais do que difícil) de selecionar 20 dos livros mais significativos para mim esse ano... vamos lá!


1. A verdadeira história do alfabeto, Noemi Jaffe


2. O caminho de casa, Yaa Giasi


3. O alforje, Bahíyyih Nakhjavání


4. A trilogia de Nova York, Paul Auster


5. Só garotos, Patti Smith


6. Um amor feliz, Wislawa Szymborska


7. Da poesia, Hilda Hilst


8. Coral e outros poemas, Sophia de Melo Breyner Andresen


9. O remorso de Baltazar Serapião, Valter Hugo Mãe


10. O paraíso são os outros, Valter Hugo Mãe


11. Grande sertão: veredas, José Guimarães Rosa


12. Quarto de despejo, Carolina Maria de Jesus


13. A promessa & A pane, Friedrich Dürrenmatt


14. As últimas testemunhas, Svetlana Aleksiévitch


15. Dom Quixote, Miguel de Cervantes


16. Holocausto brasileiro, Daniela Arbex


17. Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, Maya Angelou


18. A liberdade é uma luta constante, Angela Davis