Lilian Ney em três poemas

Minha vontade de você!

Hoje acordei com vontade de você teus olhos de menino tuas mãos tão maduras tua boca de desejos Hoje acordei com vontade de você as tuas incertezas os teus porquês as tuas novidades Hoje acordei e não te vi ao meu lado e não senti o teu abraço e não dei aquele bom dia Hoje vivo nessa saudade busco o teu retrato entre os livros esquecidos na estante Hoje te olho novamente e o teu cheiro alimenta o meu desejo de estar naquele abraço que um dia juramos eterno Hoje e só hoje me permito só por um instante viver de novo nossa primeira vez!


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


te busco na insanidade da rosa presa ao espinho

olho-te como um pássaro que alimenta sua cria

olho-me também perplexa dessa vontade de estar presa na tua ausência

é sempre distância

esse amor que um dia juramos eterno.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


trago no peito

a dor das distâncias

que o tempo

não pode aplacar

carrego nas mãos

a infinitude do adeus

escorrendo entre os dedos

molhando o caminho

olho a mulher

tentando atravessar o caminho

tateando na densa poeira

a procura de si

resisto

insisto

conquisto

meu próprio porvir




Lilian Ney é escritora. Faz parte d@s Poetas Papareias e dos Escritores de Quinta. Já integrou o Invitro, coletivo de escritores da Mundo Moinho. Tem vontades demais dentro de si. Com umas sabe lidar muito bem, mas tem outras, ah! E daí surgem suas histórias, seus poemas, tantos versos incompreendidos. E como ela mesmo diz em uma de suas crônicas, que a define: e se todas as lembranças, e se todas as saudades, e se todos os abraços, e se todos os outros dias, e se todo meu amor, e se toda essa vontade que às vezes escapa do peito e tinge o papel, ainda está aqui comigo, está viva em mim, é pelo amor que sempre esteve presente em minha vida.

0 visualização