Um pouco da poesia de Vanessa Regina

Atualizado: 5 de Jun de 2019

O Conchine de maio (sim, atrasamos a postagem por motivos de: estamos fazendo mudança por aqui. Mas olha que maravilha o que trazemos nesta edição.) apresenta três poemas de Vanessa Regina, autora que recentemente lançou É preciso que te movas (Penalux, 2019), seu livro de estreia. Confere só:


falo dessas geografias

que se esvanecem na memória

talvez um desvio

outra nomenclatura

o espanto no rosto de Narciso

que viu tão pouco

e tanto


***


difícil é estar entre os juncos

e não saber se a árvore dará seu fruto

ou se as mãos tecerão

um mundo inabitado

neste chão que se abre

engolindo os calcanhares


***


é tão pouco o que se pede

que a folha não seja mais que folha

que o homem que está mudo diante do mundo

permaneça em silêncio

como uma vela que se esqueceu

dentro do quarto



Vanessa Regina nasceu em Porto Alegre, em 1985. Cresceu em Alegrete e vive atualmente em Pelotas. É mestre em Letras. Lançou neste ano seu primeiro livro “É preciso que te movas”, pela editora Penalux.

29 visualizações