Sinto medo

Sinto medo

mas não um medo qualquer

hoje falo de um bem específico

um que compartilho com várias


fico triste que hoje o que me faz escrever

não são flores

nem amores da rotina


são flores pra ela, elas todas

que já sofreram abuso

são flores que queria ter cultivado com elas

pois sei que toda mulher tem muito a ensinar.


Fico triste em só ouvir e viver

em tempos como esse,

onde alguém pode fazer tanto mal

e ser considerado sem intenção desse


sei que somos gigantes mas não tem hoje

como não nos sentirmos tão pequenas.


Só mulheres se importam com mulheres.


Laura Bandeira, nascida em Rio Grande em 2001, uma grande apreciadora de tudo, tenta transbordar por meio de poemas o que vê ao seu redor. Fora disso, estudante de Ciências Sociais, pesquisadora e podcaster do projeto Simplificando Política.

51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

é triste